quarta-feira, 20 de julho de 2016

Você se irrita facilmente?


Aprenda a simpatizar com este sentimento e gostar de quem incomoda você!
E se questione.
Por que esta pessoa te perturba tanto?
.........………
Lá no íntimo você vai descobrir que esta pessoa que você aparentemente "odeia" é semelhante á você.
E te irrita porque você vê os aspectos íntimos que você não quer ver, que são seus.
É um espelho.


O que é este efeito espelho?
Carl Gustav Jung escreveu que percebemos nos outros muitas facetas de nós mesmo.

Traduzindo em miúdos: tudo aquilo que vemos nos outros é apenas reflexo de nós mesmo, quando não gostamos de algo que vem do outro, isso nos remete sobre algo que não suportamos em nós mesmo. 
O que não gostamos no outro revela coisas importantes a nosso respeito.
Recusamos a enxergar e aceitar porque este sentimento intolerável que nos pertence é muito difícil de admitir pois é nossa identidade, nossa fiel escultura, preferimos enxergar nosso reflexo e nos irritar com o outro. Mais fácil né, porque este outro é alguém que escolhemos para nos relacionar (sincronicidade), quando este alguém vem para acrescentar algo em sua vida, seja boa ou seja ruim. Um aprendizado..
Se você não está se dando muito bem com alguém...se questione novamente....reflita o que você evita que está em você e isto esteja te parecendo injusto.
As vezes não vemos em nós mesmo, nosso real "eu" o que nos desaponta e nos desagrada, mas quando de fato estiver fazendo uma análise pessoal e for sincero consigo mesmo, verá de fato, aquilo que esconde a sete chaves. Descobrirá no que o outro é parecido com você e quando fomos como ele. Só vemos se formos atraídos por aquilo que nos queremos ou percebemos.
Cada vez que interagimos com o outro esta pessoa se adequa a imagem que ela tem de si.
Voltando ao tema, se você se irrita tanto com alguém, presta atenção, pois as personalidade  semelhantes não se bicam, nosso lado obscuro, que negamos a todos custo.
Esta dificuldade que negamos de nós mesmo (impulsos, tendências,...) é porque nos põe em evidência, nos denudam diante de algo que nos da medo. Nosso grupo social normalmente não aceita, rejeita.
Então, aquela pessoa que você se irrita tem a personalidade que é a sua cara.
As vezes o que mais detestamos no outro, pode notar, está em nós, estamos projetando.
A projeção reduz a ansiedade por permitir a expressão de impulsos inconscientes, indesejados, fazendo com que a mente consciente não os reconheça, ex:. culpar alguém por um fracasso próprio.
Perceba estas projeções, uma limitação sua.
Como dizia Sócrates (470 a.C): Conhece-te a ti mesmo, cujo pensamento foi descrito por Platão, que nos faz perceber o quanto somos ignorantes de nós mesmo e quanto é antiga a busca pela consciência de quem somos.
























sexta-feira, 1 de julho de 2016

Compensação

MECANISMO DE DEFESA

Como você se sente quanto a este processo?
Limitado?
Com raiva?
Apático?
Intimidado?
Coitadinho?

Este mecanismo é um processo psíquico em que você se acha desfavorável diante de si mesmo ( não necessariamente real, as vezes pode se dar de forma fantasiosa).
A personalidade se esforça bastante para obter uma "aprovação" e um sentimento de segurança que o satisfaça frente aos estímulos sociais.
Como o indivíduo se sente pior que todo mundo, ele tenta compensar, fazendo tudo da melhor maneira possível, porém esse comportamento contribui para a manutenção do problema, não resolvendo e sim repetindo o padrão.
Sentir-se sempre inferior aos outros demonstra insegurança e falta de maturidade.
Este processo passa sempre para evitar sentir alguma emoção e preencher a lacuna, que você acha não ser capaz.
Seria essencial identificar este mecanismo compensatório e ver se é adaptativo ou não.
Se for, mantenha. Está tudo ok.
Se não, e tiver um problema destrutivo atrapalhando seu desenvolvimento interpessoal, amoroso, convém procurar um psicólogo para juntos identificar os porquês desta situação e resolver da melhor forma possível para você viver cada vez melhor.
Eu não sei quem você é mas com certeza sei que é tão capaz como qualquer outra pessoa.
Basta saber se conhecer melhor e saber para onde deseja ir.
Não seja tão crítico com você mesmo.
Perfeição não existe.
É natural este processo desde que não o atrapalhe.
Caso contrário, você nunca está sozinho.
Procure um psicólogo, sinta o prazer de ser FELIZ.
É o que buscamos não é mesmo?
Boa sorte.
Psicóloga Elaine

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

A vida moderna e os males da alma

Você anda triste, desanimado, falta de concentração, inútil, apático, cansado e sem vontade de fazer nada?

A depressão, ansiedade, fobia e pânico atingem milhões de pessoas brasileiras e escravizam você, deixando triste, sem vontade de sair, tomar banho, comer, fazer novos amigos, desinteressados completamente pela vida.
Os casos de fobia (medo patológico) e depressão tem subido muito nos últimos tempos, acarretando prejuízo na vida moderna das pessoas, como falta ao trabalho e suicídio.
De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), em 2020 a depressão será a segunda doença que mais afetará o ser humano, roubando seu tempo, seu desânimo.
Como reverter essa tristeza?
Hoje em dia o que se pode fazer é procurar ajuda, psicoterápica e psiquiátrica, ou a combinação de ambos (terapia e remédio).
Cada caso é um caso, por isso, procure o que melhor lhe convier mas, não se entregue, procure ajuda a família, amigos, vizinhos, tem como sair dessa.
Porque eu tenho a patologia, como veio?
Pesquisas demonstram que é um dessaranjo na química cerebral, que precisa de tratamento.
Nem sempre vem acompanhado de acometimentos ruins ou traumas. Pode desencadear sem motivo aparente.
Quando a depressão vem por um trauma, é a depressão reativa. Quando veio do nada, se chama de endógena, que foi causada por fatores do próprio organismo.

A ansiedade generalizada ocorre quando o ser humano anda muito preocupado (excessivamente), nervoso, inquieto, apresenta tonturas, impaciência, irritado por nada, sua memória fica empobrecida, seu sono não vem, e infinitas respostas ao seu corpo. Preocupando-se demais com a vida.
O ansioso vive em constante estado de tensão e desconforto.
São sensíveis e frequentemente se sentem deslocados e incompreensivos.
É o indivíduo que não descansa, pois pensa muito no que poderia ter feito ou o que fez, ou o que deu errado, ou......fica remoendo, suas preocupações fantasiosas ou reais.
Para a ciência não é claro o causador da ansiedade, alguns acreditam que fatores ambientais tenham um peso maior do que a predisposição genética. Outros acreditam que a educação rigorosa com altos níveis de agressividade e exigências na escola, pode ser o causador do desequilíbrio.
Tratamentos:
Como escrevi anteriormente, aqui também pode-se procurar ajuda com um bom terapeuta e psiquiatra, ou ambos os tratamentos.
Uma ressalva aqui é que a terapia deve ser a primeira a ser procurada porque ajuda a pessoa a identificar e tentar mudar seus pensamentos e comportamentos ansiosos antes de tomar o remédio.
Lembrando que a mais eficaz terapia é a comportamental cognitiva, pois ajuda a pessoa a perceber que as crenças que você possui sobre si, sobre o mundo e sobre o futuro, estão em desacordo com a realidade, acarretando muitas vezes um desvalor pois isso determina o modo como você pensa, e afeta profundamente o seu bem estar emocional.

Quanto as fobias e o pânico seus sinais são os mais fáceis de identificar.
As fobias surgem em situações mais específicas, como falar em público, andar de avião, elevador, bichos específicos como aranha, cachorro, lagartixa, túneis, em algum lugar fechado que a pessoas não pode se locomover.
O pânico muitas vezes vem sem causa aparente.
O conjunto de sintomas de ambas as doenças tem aspecto em comum: o organismo se prepara para enfrentar uma situação de perigo real, quando na verdade, vem desproporcional, descontrolada e transforma em transtorno emocional.
Estes transtornos provocam um medo irracional (tem a sensação de que algo de ruim está por acontecer) e exagerado diante de situações cotidianas, podendo se manifestar em qualquer idade, em ambos os gêneros.
A ciência mostra que a predisposição genética é um dos fatores mais importantes para o surgimento dessas doenças.
Há também evidências de que alguns traços de personalidade ajudam a desencadeá-las: normalmente são pessoas extremamente exigente consigo, não sabem dizer não, assumem grandes atividades, são perfeccionistas, e não aceitam bem os imprevistos que as vezes a vida encarrega de dar ao indivíduo (falta resiliência).

Tratamento:
Em fobias mais brandas a psicoterapia é o mais indicado.
Há várias linhas existentes a mais usada é a TCC (Terapia Comportamental Cognitiva).
Há uma variedade de técnicas para aplicar para a pessoa, como por Ex:. em expor a pessoa gradativamente a situação que provoca o "problema", diminuindo assim, sua ansiedade.
A duração do tratamento varia conforme cada caso.

Para o pânico e para as fobias mais severas o tratamento é mais duradouro e é necessário psicoterapia e remédio.
O remédio começa a surtir efeito depois de aproximadamente  duas semanas e recomenda-se mante-los por no mínimo seis meses, a critério médico.
Para complementar você leitor com estes diagnósticos, é recomendado técnicas de relaxamento e atividade física, como coadjuvante ao tratamento.
A caminhada libera endorfina, que é um calmante natural.

Não fique apenas lendo, procure ajude, cuide de você.













domingo, 7 de junho de 2015

VITIMIZAÇÃO

Nossa dor é maior do que a dos outros? Não né!
Sente pena de si mesmo pelas mazelas que a vida supostamente te deu?
Está sabendo lidar com sua dor emocional?
Não é nada fácil lidar com uma dor física ou emocional, ficamos presos nos sentimentos negativos, julgamos sermos vítimas dos nossos males, nossa dor. Não é mesmo?
Ficando assim, ficamos paralizados diante desta "dor" deixando de ajudar a nós mesmo. Pare de sentir pena de você mesmo criatura!
Você tem capacidade de melhorar seu estado em que se encontra, basta para isso se reerguer, sair da inércia que se colocou. Sair da desesperança.
Como?
Pare de sentir pena de si mesmo, por que assim você anula suas habilidades de procurar soluções.
No momento em que você se aceitar da maneira que está hoje, conseguirá assumir o controle dos seus pensamentos destrutivos e modificá-los de uma maneira mais adaptativa.
Lembra lá atras quando você se sentia feliz? Resgate estas lembranças positivas nas quais conseguia superar suas adversidades, encontrando soluções para seus problemas e como encara-los.
Você ainda tem esses recursos é só se preocupar-se mais consigo mesmo, nos pontos fortes que a solução te veem a mente.
Ninguém pode viver a vida por você, a responsabilidade é só sua. Os outros (Médicos, multiprofissionais) até podem amenizar seu sofrimento, e, determinados momentos mas, você é o autor da sua história, de suas mudanças, cabe a você direcionar para onde quer ir.
Você pode estar numa situação extremamente triste, com diversas complicações, culpar os outros e mundo vai te deixar melhor? Não né, isso a deixará mais triste.
Você pode ficar assim para o resto da vida, achando que ninguém se importa com você, que a vida te persegue, que você é vítima, que te abandonaram, que não te apoiam, que não te ajudam, Isso é o melhor para você?
Pense....
Você sempre pode (e deve) concentrar-se em si mesmo e fazer o que se pode ser feito. Te parece pouco? Aqui um minimo de solução é muito para quem se acomodou-se, então criatura, a situação está em suas mãos para sair do lugar que você teima em ficar parado.
Sei que consegue, não fique a espera dos outros ou que algo externo a você te salve.
A melhora está dentro de você!
A fé que te impulsiona também....a procure...
A sua felicidade a espera....



sábado, 25 de abril de 2015

Skin Picking

Skin Picking ou conduta Auto Lesiva ou ainda Escoriação Psicogênica

Skin Picking (“mania de cutucar”), significa uma repetição de:

· Tocar;
· Espremer;
· Coçar;
· Cutucar;
· Arranhar;
· Furar;
· Escoriar....

Ela (e) pode passar horas examinando a pele com a mão ou mesmo com um espelho, criando um hábito, acometendo muitas vezes vergonha pela cicatriz deixada no rosto por ex, passando a evitar sair de casa, ir em reuniões com amigos ou mesmo usando roupas inadequadas para poder sair de casa, evitando olhares de outrém.
A fissura é tão grande que algumas pessoas fazem isso com outras pessoas, cutucando, espremendo espinhas e cravos, deixando cicatrizes nos outros.

Como se desenvolve a mania de cutucar?
Geralmente começa com uma pequena ferida na pele, que aos poucos a pessoa coça, coça de novo, vai coçando, acaba não deixando cicatrizar.
Com o tempo começa a ter uma sensação gostosa/prazerosa da coceira ou da maneira de coçar e não para mais, deixa criar uma ferida, quase seca e lá vai novamente cutucar.
Ocorre normalmente em situações de ansiedade (procurar a causa), em momentos de certa monotonia, tensões do dia a dia, ou sofrer de isolamento social, tem diversos motivos que levam a pessoa a praticar este tipo de conduta.
Pense em que momentos você provoca estas feridas: você está sentindo e pensando o que? Ponha no papel....
Como amenizar antes de procurar um médico?
Se você está lendo isso e já se identificou..pare e pense....que momento eu faço isso? Opa, vou prestar mais atenção em mim!
Você pode mascarar o problema usando luvas, colocando esparadrapo nas pontas dos dedos e cortar as unhas bem rente.

 O Skin Picking pode ser um problema isolado (comportamental), mas também pode vir acompanhado de outras doenças, como por ex:


- Doenças de pele; 
- Doenças auto-imunes; 
- Transtorno Dismórfico Corporal; 
- Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC); 
- Sintomas de abstinência de drogas opioides Autismo; 
- Psicose;
- Transtorno de Personalidade Borderline; 
- Tricotilomania (mania de arrancar cabelos)..
Procure um Dermatologista para que ele indique melhor tratamento para seu problema como ex:. uma medicação tópica para tratar sua pele dos machucados; procure um Psiquiatra para uma avaliação mais aprofundada e descartar qualquer patologia; e um Psicólogo Cognitivo Comportamental para resignificar seus pensamentos.
Como a Terapia Cognitiva Comportamental poderá te ajudar?
Vou explicar  com algumas palavras....
A avaliação de hábitos não pode ser manipulada diretamente mas os pensamentos que os suportam podem.
Estes pensamentos, denominam-se com Pensamentos Automáticos (PA).
O que posso dizer sobre isso?
Que Pensamentos Automáticos seria tudo aquilo que passa na sua cabeça e você não questiona, aceita como verdadeiro. Se refere a todo conteúdo mental do qual não temos consciência.
A primeira tarefa de reestruturação cognitiva é, assim, de auto monitorização, aprendendo a tornar-se mais consciente dos seus hábitos (padrões) de pensamentos.
Os nossos Pensamentos Automáticos são frequentemente suportados pelas crenças mais profundas sobre si, os outros e o mundo. Enquanto os Pensamentos Automáticos refletem a sua reação a um determinado evento, as crenças descrevem as suas expectativas gerais e de identidade.
Por ex:. Se você tiver tido uma nota baixa na prova o seu Pensamento Automático provavelmente irá refletir a sua situação, "eu estou tão chateada", "eu deveria ter estudado mais". Enquanto a sua crença central pode refletir um medo mais profundo: "eu sou uma pessoa burra". A essência da crença juntamente com a avaliação que fazemos do nosso comportamento são uma importante  fonte de viés. Confirmando ou não sua crença.
As avaliações que você faz de si, podem ou não serem distorcidas, junto com suas CRENÇAS (que ninguém tira de você, por que faz parte de você enquanto sujeito, mas nós Psicólogos amenizamos seu sofrimento e fazemos você entende-los da melhor maneira possível e seguir com sua vida sem prejuízo).
Se  a situação ou o comportamento estiver distorcido e disfuncional acerca de nós, levaremos a um desvio no nosso pensamento e teremos uma conclusão prejudicial e auto derrotista de nós mesmo.
O Skin Picking pode-se trabalhar com a identificação e a modificação das cognições e comportamentos que estariam gerando um problema relacionados a aparência.
Várias técnicas poderiam ser usadas, depende muito de pessoa para pessoa.
Algumas delas poderiam ser:
- Automonitoramento do pensamentos e comportamentos relacionados a aparência (controle de tempo gasto na checagem no espelho);
- Técnicas cognitivas (desafiando os pensamentos sobre a aparência);
- Exercícios comportamentais (exposição a situações de medo e prevenindo o engajamento em comportamentos compulsivos);........
Caso você tenha se identificado com os sintomas acima descritos, procure um Psicólogo Cognitivo Comportamental e faça uma avaliação.



domingo, 8 de março de 2015

O quanto você deixa para depois? (Procrastinar)



O que seria esta palavra tão estranha?
Atrasar, adiar uma tarefa ou de uma ação. É uma característica humana.
Isso pode virar um problema quando se torna incontrolável. 
A procrastinação crônica pode ser um sinal de problemas 
psicológicos ou fisiológicos.
Alguma vez na vida você pode vir a proscratinar.
O primeiro passo é admitir que faz isso e tomar uma providência para melhorar, não consegue fazer sozinho? Procure ajuda.

Algumas dicas de como não procrastinar:
Você pode fazer uma lista de tudo aquilo que te distrai 
   das suas obrigações e procure focar nisso e se afaste do que distrae;
* Não queira ser perfeito, você pode errar
 - faça novos planejamentos, corrija, refaça;
* Se aproxime de pessoas que te elevem para algo positivo;
Uma boa alternativa é estabelecer uma agenda e seguir metas que
   você consiga realizar, sem deixar para depois. 
   Se a tarefa foi grandiosa, divida em etapas, não necessariamente 
   no mesmo dia, peça prazos se for o caso e faça uma coisa de cada vez;
* Não existe momento certo, existe o aqui agora, seja você o incentivador. 
  Não pense muito, simplesmente faça!


quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Seus sentimentos são consequência de seus pensamentos..mas como?

Terapia Cognitiva Comportamental (TCC)

A Terapia Comportamental Cognitiva é uma linha da Psicoterapia Breve, proposta e desenvolvida pelo Psiquiatra e Professor Norte Americano Aaron Temkin Beck.
É usada como um termo mais amplo que inclui tanto a TC (Terapia Cognitiva) padrão quanto combinações ateóricas de estratégias cognitivas e comportamentais.
Envolve um conjunto de técnicas e estratégias com a finalidade de mudança de padrões de pensamentos, o processo pode levar alguns meses onde trabalharemos na criação de estratégias para lidar com o seu sofrimento, revertendo cognições disfuncionais e comportamentais.
Aqui não é a situação que determina as emoções e comportamentos de uma pessoa mas, sim suas cognições ou interpretações a respeito dessa situação, que de alguma forma reflete no seu cotidiano de maneira disfuncional.
Um grande número dos pensamentos que temos a cada dia faz parte de um fluxo de processamento cognitivo totalmente consciente e vem de forma rápida, a isso damos o nome de pensamentos automáticos. Que seria tudo aquilo que passa por sua cabeça e você não questiona, aceita como verdadeiro.
Com base nesses princípios, a TCC busca a reestruturação cognitiva e comportamental a partir de uma Conceitualização Cognitiva da pessoa ajudando-a em seus problemas e promove uma plano de tratamento. Norteando assim, cada resposta não verbal, cada intervenção para aprimorar a comunicação terapeuta/cliente.
Nossas cognições tem uma influência controladora sobre nossas emoções e comportamentos, e o modo como agimos ou nos comportamos pode afetar profundamente nossos padrões de pensamentos e nossas emoções.


segunda-feira, 26 de maio de 2014

Depressão Infantil

O Transtorno Depressivo Infantil é um transtorno do humor capaz de comprometer o desenvolvimento da criança ou do adolescente e interferir com seu processo de maturidade psicológica e social.
São diferentes as manifestações da depressão infantil e dos adultos, possivelmente devido ao processo de desenvolvimento que existem na infância e adolescência.
A depressão foi considerada a principal doença psiquiátrica do século, afetando aproximadamente oito milhões de pessoas só na América do Norte (onde são feitas as principais pesquisas).
A morbidade da depressão se reflete no fato de que os adultos deprimidos são 20 vezes mais propensos a morrer de acidentes ou de suicídio do que adultos sem transtorno psiquiátrico. 
Tanto os quadros de distimia quanto de transtorno afetivo bipolar, podem surgir pela primeira vez durante a adolescência e o reconhecimento precoce de um estado depressivo poderá ter profundos efeitos na futura evolução da doença.
Na criança/ adolescente a depressão, em sua forma atípica, esconde verdadeiros sentimentos depressivos sob uma máscara de irritabilidade, de agressividade, hiperatividade e rebeldia. A criança mais nova, devida falta de habilidade para uma comunicação que demonstre seu verdadeiro estado emocional, também manifestam a depressão atípica, notadamente com hiperatividade. 
A depressão na criança e/ou adolescente pode ter início com perda de interesse pelas atividades que habitualmente eram interessantes, manifestando-se como uma espécie de aborrecimento constante diante dos jogos, brincadeiras, esportes, sair com os amigos, além de apatia, e redução significativa da atividade.  

Sintomas:
Nas crianças e adolescentes é comum a depressão ser acompanhada também de sintomas físicos, tais como fadiga, perda de apetite, choro, tiques, problemas de memória, diminuição da atividade, queixas inespecíficas, tais como cefaléias, lombalgia, dor nas pernas, náuseas, vômitos, cólicas intestinais, vista escura, tonturas, etc. Na esfera do comportamento, a depressão na Infância e Adolescência pode causar deterioração nas relações com os demais, familiares e colegas, perda de interesse por pessoas e isolamento.
Depressão infantil, principalmente relacionada à atenção, raciocínio e memória interfere sobremaneira no rendimento escolar.    
Pais prestar atenção na listagem de critérios:

Sinais e sintomas de depressão infantil:
1- Mudanças de humor significativas;
2- Diminuição da atividade e do interesse;
3- Queda no rendimento escolar, perda da atenção;
4- Distúrbios do sono;
5- Aparecimento de condutas agressivas;
6- Auto depreciação;
7- Perda de energia física e mental;
8- Queixas somáticas;
 9- Fobia escolar;
10- Perda ou aumento de peso;
11- Cansaço matinal;
12- Aumento da sensibilidade (irritação ou choro fácil);
13- Negativismo e Pessimismo;
14- Sentimento de rejeição;
15- Idéias mórbidas sobre a vida;
16- Enurese e encoprese (urina ou defeca na cama);
17- Condutas anti-sociais e destrutivas;
18- Ansiedade e hipocondria...
Não é obrigatório que a criança complete todos os itens da lista acima para se fazer o diagnóstico. Ela deve satisfazer um número suficientemente importante de itens para despertar a necessidade de atenção especializada. Dependendo da intensidade da Depressão, pode haver substancial desinteresse pelas atividades rotineiras, queda no rendimento escolar, diminuição da atenção e hipersensibilidade emocional. Surgem ainda preocupações típicas de adultos, tais como, a respeito da saúde e estabilidade dos pais, medo da separação e da morte e grande ansiedade.
Quando essas alterações não são graves o suficiente para serem considerados Episódios Depressivos pode chamá-las de disforias (mudança repentina e transitória do estado de ânimo).
Os transtornos depressivos são bastante tratáveis hoje em dia, obtendo-se bons resultados. Pais que desconfiem que um filho sofra desse mal devem levá-lo a um psiquiatra ou serviço de psiquiatria para uma avaliação. 
O tratamento utiliza medicações antidepressivas e acompanhamento psicológico. Internações são necessárias em duas situações: quando o paciente fica psicótico (fora da realidade), o que é raro, ou quando existe risco de suicídio. 

O Transtorno de Personalidade Dependente (TPD)

Características Diagnósticas:
Sua principal característica é uma necessidade excessiva de ser cuidado, gerando um sentimento de submissão que impede que a pessoa seja capaz de se desenvolver de forma independente, buscando atenção. São pessoas extremamente passivas e tendem a deixar que outras pessoas tomem as decisões por elas. Também apresentam um forte temor a ser abandonadas e se esforçam para agradar os outros.
A pessoa tem grande dificuldade para tomar decisão sozinha. O grau de dependência chega até o ponto de perguntar como se vestir, o que deve comprar...
A falta de confiança própria as conduz a adotar uma atitude de passividade na vida. Não costumam ter iniciativa própria nem projetos porque se consideram incapazes. Geralmente, as pessoas não assumem a responsabilidade perante grandes decisões. Tendem a depender de uma única pessoa que se ocupa destas decisões, como por exemplo, onde trabalhar, onde morar, etc.
Quando estas pessoas se encontram sozinhas, sentem-se desprotegidas.
Tendem a procurar parceiros com forte instinto de proteção e cuidado.
Estas pessoas sentem muito medo de serem abandonadas pelas pessoas que se ocupam delas, e isso provoca muitas vezes que elas façam coisas desagradáveis para os outros com o fim de ser aceitas e de agradar.
Indivíduos dependentes evitam situações que os obriguem a aceitar a responsabilidade para si; olham para os outros a assumir a liderança e apoio contínuo.
O Transtorno pode ocorrer em um indivíduo que possui uma séria condição médica geral ou deficiência, mas nestes casos a dificuldade em assumir responsabilidades deve ir além daquela que normalmente estaria associada a esta condição ou deficiência.

Causas:
Não há estudos de genética ou de características biológicas para os pacientes de TPD, e tampouco têm sido realizados. A causa central para a sua constelação psicodinâmica é uma forma insegura de ligação com os outros, que podem ser o resultado do apego ao comportamento parental.

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais utilizado para diagnóstico de distúrbios mentais, define o diagnóstico de transtorno de personalidade dependente caso sejam identificadas cinco ou mais das seguintes características:
- Dificuldade em tomar decisões todos os dias sem uma quantidade excessiva de conselhos e apoio dos outros;
- Dificuldade em expressar discordância de outros por causa do medo da perda de apoio ou aprovação. Nota: não incluir temores realistas de retribuição;
- Dificuldade em iniciar projetos ou fazer coisas em seu próprio projeto (devido à falta de autoconfiança em seu julgamento ou capacidades, não por falta de motivação ou energia);
- Obtenção de carinho e apoio dos outros o portador vai ao extremo em busca de fazer coisas que são desagradáveis para ele;
- Desconforto ou desamparo quando sozinho por causa de temores exagerados de ser incapaz de cuidar de si mesmo;
- Busca urgentemente um novo relacionamento como fonte de cuidado e apoio, quando termina uma relação estreita;
- É imensamente preocupado com temores de ser abandonado para cuidar de si mesmo...
É uma exigência do DSM-IV, que o diagnóstico de um transtorno específico de personalidade também satisfaz um conjunto de critérios gerais transtorno de personalidade.
Pessoas com TPD são propensas a ansiedade e transtornos depressivos.
Durante a psicoterapia, investigam-se as causas do medo de ficar sozinho e explicar o que seria assertividade e outra habilidade social e ocupacional úteis. 
Não é necessário contrariar a personalidade e natureza do indivíduo. Seus comportamentos e principais virtudes são estimulados de uma forma mais saudável, dentre eles a:
- Capacidade de assumir compromissos;
- Prazer na intimidade;
- Habilidades de trabalhar em equipe, sem necessidade de competir com o líder;
- Capacidade de promover a harmonia nas relações com outros;
- Consideração pelos outros; e,
- Aprender a conviver com os outros de forma harmônica e principalmente consigo próprio.
Mas o mais importante é estimular o indivíduo a expressar melhor sua opinião, desejos e necessidades de modo assertivo e estimular o comportamento de pedir ajuda para evitar que ela sofra violência e abusos.

Identificou-se? Procure ajuda.